Agosto 24 2012

Bem-vindo ao mês do torpor e dos passos arrastados. Ao sabor da descompressão na cidade. As horas lânguidas que se organizam numa sucessão disciplinada e sadia. Bem diferente de outrora.

 

Os jornais desesperam!

 

Não fora conhecer-te mês de Agosto, estranharia a tua lei.

 

É o tempo áureo daqueles que anseiam a libertação às amarras da cidade. Mas aqueles que partem não se apercebem que é este o momento em que a cidade se dá a conhecer. Fortalecem-se vínculos aos nossos lugares. Convoca-se o exterior, os sons, a luz e a curiosidade.

 

É o momento de nos seduzirmos com a avidez de quem procura os recantos. Com o brilho nos olhos de quem se arrebatou com a luz.

 

É esse o fascínio deste tempo, o de contemplar as coisas sem importância. O abraçar o nosso espaço, sem pressas, sem angústias.

 

Reinventarmos os nossos sonhos seguindo “Lisboa na Rua” e atormentarmos a paz “À procura do vento num jardim d’agosto”, na poesia de Al Berto.

publicado por pontoprevio às 15:15

E como é linda a cidade de Lisboa!
Toda a sua beleza fica à nossa mercê neste mês de Agosto. À mercê dos mesmos que durante todo o ano a "esquecem", subvalorizam e por vezes até a desconsideram.
Agosto, o mês em que Lisboa totalmente se disponibiliza, apenas aos que ficam!
E que bom é ficar em Agosto!
Sónia Antunes a 24 de Agosto de 2012 às 22:44

mais sobre mim
Agosto 2012
Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4

5
6
7
8
9
10
11

12
14
15
16
17
18

19
20
21
22
23
25

26
27
28
29
30
31


pesquisar
 
blogs SAPO